COMPORTAMENTO

Nenhum Natal será o mesmo sem você

Essa época do ano me lembra você. Não só porque era o mês do seu aniversário ou porque fim de ano é normal bater nostalgia, mas sim porque tem festa, tem comida e principalmente porque tem alegria. E essas três coisas juntas não me lembram outra pessoa a não ser você, vó.

E faz tanta falta não te ter aqui.

A casa parece sempre vazia, todo dia eu tenho a sensação de que ela está incompleta. Até mesmo com a Manuela correndo de um lado para o outro cantando e gritando, eu escuto o silêncio que faz não ter a sua voz vinda da cozinha. Sempre da cozinha; o seu lugar preferido e o lugar que eu sempre acho que vou te encontrar ao chegar em casa.

Nenhum Natal será o mesmo sem você cozinhando de manhã até de noite, e indo enfrentar mercado em pleno dia 24 porque tá faltando algum ingrediente pra uma das 50 receitas que você fazia ao mesmo tempo. Não tem mais a sua farofa, a torta de frutas, o arroz de formo, e o pastel. O bendito pastel que você ficava fritando até 23:59h.

“Vó, vai tomar banho e se arrumar que já são quase meia-noite! ”, “Chega de pastel, já tá bom de comida”, “Vem cear com a gente! ”

“Já estou indo! Vocês não querem que eu fique fritando pastel, mas quando eu coloco na mesa não sobra um! ”

E não sobrava mesmo. Tudo que você fazia era tão carregado de amor e carinho, que não sobrava nada.

Só que hoje a casa está vazia, a ceia não está pronta e as luzes apagadas. A sensação que tenho é de que você deve está chateada com isso. Me desculpa, vó. Eu devia tá fritando o pastel por você, mas não é fácil sem a sua presença. Sem você falando que eu estou fazendo errado. Sem você querendo fazer tudo do seu jeito. Sem a sua risada e a sua voz enchendo a nossa casa.

Esse ano vai ser mais um em que eu não vou ouvir você falando ao telefone, com algum parente que mora longe, que a sua neta parece uma modelo. Sempre elevando a minha auto estima. Gosto de pensar que, se ainda estivesse aqui, hoje você incluiria na conversa que eu sou fotógrafa e puxei o gosto pela fotografia de você. O que seria a mais pura verdade. Aliás, obrigada por ter registrado a minha infância. Uma das câmeras que você usou para isso fica no meu estúdio, para sempre me lembrar que essa paixão (que virou profissão) nasceu junto com cada sorriso que eu te dei quando estava me fotografando com ela.

Agora eu estou aqui, encarando a tela do computador com o coração apertado de saudades, e querendo um abraço de vó.

Nenhum Natal, ou qualquer dia do ano, sempre o mesmo. Mas essa época do ano me lembra você, o que me lembra da tua risada, e logo me faz sorrir.

Postagem anterior Próximo Post

8 Comentários

  • Resposta ludmila cabral 17/05/2017 em 16:11

    ei, adorei esse seu mini conto, msm q seja real e acho q (se foi isso) que deu o verdadeiro sentimento ao texto
    parabens por ele!

    perolasdelivros.blogspot.com

    • Resposta Ariel Moraes 18/05/2017 em 10:31

      Olá, Ludmila!
      Sim, é um relato real.
      Foi uma carta escrita no último natal, em um momento de muita saudade.
      Beijos

  • Resposta Roberto Camilotti 17/05/2017 em 16:15

    Que linda esta homenagem, Ariel; parabéns! Muito sensível, me fez lembrar da minha.

    Agora paro meu comentário por aqui pq estou prestes a chorar, rs.

    Abraço e parabéns!

  • Resposta Alice Martins 18/05/2017 em 09:56

    Oi Ariel, tudo bem?

    Que texto emocionante! Diferente da maioria das pessoas, nunca tive uma relação tão amigável com a minha vó, é óbvio que sempre a vejo e que ela sempre esteve nos meus momentos especiais, mas ela nunca fez o tipo que cozinha pra família inteira e reúne todo mundo. Deve ser muito difícil passar por essa data tão especial e não ter ao seu lado a pessoa que sempre foi importante. Ao ler seu texto, me lembrei do meu avô, o homem que sempre esteve ao meu lado. Parabéns, me arrancou lágrimas. Sua avó estaria feliz, com toda certeza!

    Beijos!

    • Resposta Ariel Moraes 18/05/2017 em 10:35

      Querida Alice,
      Obrigada pelas palavras!
      Realmente, é muito difícil.
      Nunca nos acostumamos com a saudade.
      Mas isso também mostra como nossas vovós e nossos vovôs são importantes em nossas vidas.
      Beijos! ♥

  • Resposta Rodrigo Costa 18/05/2017 em 21:56

    Menina do céu…não faz isso ='(
    Que texto singelo mas tão emocionante!
    Adorei e pretendo vir aqui mais vezes ver sua escrita.
    Abraço!

  • Resposta Kelly 18/05/2017 em 23:55

    Nossa ! Q msg tocante a sua…ela me fez relembrar a minha vó tambem…

    Gostaria de postar no meu blog , estou criando um cantinho p essas coisas e ajudar a divulgar tb o amigo , posso ?!

    Amei msm, bjos e sucesso

  • Deixe um comentário